Eu Tenho Voz capacita docentes de escolas de São José do Rio Preto

Nesta terça-feira (5) o Instituto Paulista de Magistrados (IPAM) realizou via Google Meet um encontro do “Curso de Capacitação básica para prevenção e combate ao abuso sexual de crianças e adolescentes” do Projeto Eu Tenho Voz, que capacitou cerca de 82 professores, educadores e diretores de duas escolas públicas de São José do Rio Preto para participar das ações de combate a esse tipo de crime.

A idealizadora e coordenadora do projeto, juíza Hertha Helena Rollemberg Padilha de Oliveira, 1ª vice-presidente do IPAM, fez um histórico da criação do Projeto, em 2016, e das mudanças realizadas em 2021 para adaptação de suas principais ações à nova realidade da pandemia da Covid-19, com o lançamento do Projeto Eu Tenho Voz na Rede, uma variação on-line do projeto original, em que as atividades antes realizadas presencialmente para os públicos alvos, foram realizadas totalmente on-line, como o Curso de Capacitação Básica para professores e educadores que lidam com esses jovens, ou por meio de intervenções on-line e híbridas com as crianças.

A magistrada relatou aos docentes presentes ao encontro que no reinício das apresentações presenciais “em apenas em quatro escolas de Jundiaí em que o processo foi retomado houve quase 100 denúncias. Um número surpreendentemente alto e nunca visto em sete anos da existência do projeto. E não foram apenas casos de abuso sexual infantil, como também de maus tratos, violência doméstica e bullying”.

O juiz Evandro Perolin, da Vara da Infância e Juventude de São José do Rio Preto, afirmou que procurou o Projeto Eu Tenho Voz pela “inovação” e porque acredita que será de suma importância para os docentes das escolas estaduais da cidade saber lidar com um tema tão complexo como é o abuso sexual contra crianças e adolescentes. “Somos o terceiro país em consumo de pornografia na internet, mas o primeiro no combate a esse tipo de crime. Então um trabalho como esse só vai ajudar nossos jovens”, acredita.

A psicóloga judiciária da Infância em São José do Rio Preto, Railda Ferreira Galbiati, explicou que o projeto primeiramente capacitou diretores e docentes das escolas Professor Oscar Salgado Bueno, na Vila Diniz, e a Pio X, na Santa Cruz para depois ser multiplicado por outras escolas da cidade, além de formar outros profissionais como os da área da saúde e policiais militares. “Precisamos fortalecer as redes de atendimento a esses jovens. Também é necessário conhecer a realidade dessas famílias, definir melhor os papéis de cada um para fazer as interferências necessárias e combater a violência”, finalizou.

 

 

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 4 =

2022 © IPAM - Instituto Paulista de Magistrados. Todos os direitos reservados.